Mercadoria apreendida pela Alfândega de Vitória vai ajudar Hucam no combate à pandemia

Destinação de 50 smartphones pela Alfândega da RFB do Porto de Vitória concretiza solução para tratamento
de pacientes de Coronavírus em Hospital Universitário do ES

Mais uma apreensão de mercadoria feita pela Alfândega da Receita Federal (RFB) do Porto de Vitória vai contribuir para o combate à pandemia no Estado. O órgão destinou 50 aparelhos smartphones para o Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (Hucam), que serão utilizados como monitores do videolaringoscópio, possibilitando a intubação de pacientes que necessitam de ventilação mecânica com menor risco de contaminação e melhor eficiência para os profissionais de saúde.

A adaptação do videolaringoscópio foi desenvolvida pela equipe de robótica do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), do Campus Colatina, em parceria com o Hucam. O aparelho adaptado também é formado por microcâmeras e por um celular que funciona como monitor. As microcâmeras identificadas pelo Hucam podem ser compradas online a um baixo custo (R$ 30). E é nessa fase que os 50 celulares destinados pela Alfândega são imprescindíveis para a concretização dessa solução, já que as telas dos smartphones serão o “vídeo” para possibilitar a impressão do modelo adaptado.

Com o videolaringoscópio será possível realizar a intubação de pacientes que necessitam de ventilação mecânica com menor risco de contaminação e melhor eficiência para os profissionais de saúde, já que resguardam um distanciamento mais seguro de pacientes infectados pelo novo coronavírus. Pela situação da pandemia, há uma dificuldade mundial em adquirir esses equipamentos prontos no mercado.

O delegado Fabricio Betto diz que esse apoio imediato está baseado na premissa de aliar criatividade e cooperação para a superação de desafios relacionados à preservação da saúde e à cura de enfermidades. “A destinação de equipamentos médicos ou outras mercadorias que possam atender diretamente as necessidades de saúde e educação da população refletem preocupação antiga da ALF/VIT, que regularmente destina bens apreendidos a entidades que deles necessitam para prestar serviços à comunidade”, destaca.

O professor Ricardo Tedesco, do Ifes – Campus Colatina, explica que cada equipamento demora três horas e meia para ser impresso. “A partir de um modelo disponibilizado pelo Hucam, criamos uma opção mais anatômica, com formas mais arredondadas, pensando também em aliviar o desconforto do paciente. Imprimimos duas unidades para teste, se for aprovado, podemos aumentar a produção”, detalha.

Além dos 50 smartphones, também foram destinados ao Hospital Universitário 1.051 unidades de óculos que servirão para atender população carente que precisa de armações para óculos de grau.

A Delegacia Sindical Espírito Santo do Sindifisco Nacional congratula-se com a Administração da ALF/VIT e com os colegas aduaneiros envolvidos nos processos de apreensão e destinação de mercadorias, especialmente daquelas necessárias para prevenção, diagnóstico e tratamento da COVID 19, com a certeza de que a contribuição dos Auditores-Fiscais da RFB e o conhecimento dos técnicos da UFES e do IFES envolvidos são fundamentais para a facilitação do trabalho dos profissionais de saúde do Hucam e de todos os demais hospitais, os verdadeiros heróis do Brasil no combate a essa terrível pandemia.

Por Roberta Barretto

Fabricio Betto, delegado da Alfândega da RFB do Porto de Vitória

Luciano Teixeira, presidente da DS/ES do Sindifisco Nacional 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *