Senai produz máscaras para destinar a colaboradores da Findes e suas entidades

Pensando na saúde e proteção de seus colaboradores, e também em contribuir para o combate e a prevenção da Covid-19 no Espírito Santo, a Findes – por meio do Senai ES – irá distribuir cerca de 5 mil máscaras para o seu público interno.

Essa é a campanha “Proteja e faça o bem”, que começou na última sexta-feira (17), na Grande Vitória, e segue para as unidades do interior do estado. As máscaras estão sendo confeccionadas pelo corpo técnico do Senai Centromoda, localizado na unidade de Araçás, em Vila Velha. 

Cada colaborador da Findes e suas entidades terá direito a duas máscaras, que são ideias para uso diário. No início deste mês de abril, o Ministério da Saúde recomendou o uso de máscaras de pano, como uma espécie de barreira física contra o novo coronavírus. A medida foi estimulada com o objetivo de garantir uma alternativa de proteção e diminuir a corrida por esse tipo de produto, garantindo a oferta a profissionais de saúde.



“Essas máscaras serão de duas camadas de tecido, seguindo as normas técnicas de produção desse equipamento. É importante ressaltar que elas vão possuir um poder de retenção maior do que o mínimo recomendado pelo Ministério da Saúde. Segundo a indicação técnica, o tecido utilizado na produção de máscaras de uso diário deve possuir, no mínimo, 65% de algodão. O nosso tem 95% de algodão”, ressalta o gerente regional do Senai Vila Velha, Pedro Paulo Menezes Domingues.

Entregas Pensando no bem estar e saúde dos colaboradores e para uma melhor distribuição da demanda, a fim de evitar a aglomeração de pessoas nesse momento de prevenção do coronavírus, a entrega das máscaras será realizada na entrada de cada unidade, ao ar livre e de forma que não haja aglomerações e que possa ser cumprido a recomendação de 2 a 3 metros de distância de cada pessoa.

Nas unidades da Grande Vitória, as entregas forão realizadas por ordem alfabética, com horários pré-estabelecidos. Esse protocolo de prevenção e combate ao novo coronavírus foi utilizado durante a campanha de vacinação da gripe comum.



Confira o cronograma das demais entregas:

Doações

Além da doação de máscaras, os colaboradores da Finde e suas entidades estão sendo incentivados a contribuir com dois movimentos solidários promovidos pela federação neste período de isolamento social: “Tá Limpo” e “Indústria do Bem”.

O “Projeto Tá limpo” é uma iniciativa que recebe o apoio do Cindes e trata-se de uma captação de recursos para a compra de kits de higiene, composto por dois litros de água sanitária e 500 ml de detergente. Os kits serão doados às famílias em situação de vulnerabilidade social no Espírito Santo. A distribuição será feita pela ONG CUFA – Central Única das Favelas. O valor aproximado do kit é de R$ 3,75. A contribuição é via picpay do Cindes.

A “Indústria do Bem” é um movimento que identifica as principais demandas do sistema público de saúde e estabelece a conexão com empresas, trabalhadores e a população, em geral, para que todos possam colaborar e atender a demanda. Os recursos são todos colocados à disposição do governo do Estado, que conhece as necessidades da rede pública de saúde e faz a alocação das contribuições de acordo com as carências de cada área. O valor será destinado, por exemplo, para compra de materiais de higiene, equipamentos de EPI’s e hospitalares. As doações podem ser em dinheiro ou em materiais, via picpay ou transferência bancária. É só acessar http://findes.com.br/industriadobem/Mais ações do Senai Centromoda

Além da fabricação de máscaras para uso diário, com a finalidade de proteção dos colaboradores da Findes e suas entidades, o Senai ES – por meio do Centromoda – também está dando apoio às indústrias capixabas.

As unidades que possuem maquinário para os cursos de Produção de Moda e voltados para o setor do vestuário, estão disponibilizando a infraestrutura existente para as empresas.

“Também estamos apoiando a indústria por meio de apoio técnico para a fabricação de máscaras. Empresas do ramo de vestuário e moda têm apostado na fabricação desse material, como uma alternativa nesse período de paralisação das atividades por conta do isolamento social. Nosso consultor de moda, Jackson Carvalho está à disposição para ajudar essas indústrias”, ressaltou Pedro Paulo.

O Senai Centromoda também estuda uma forma de ajudar na fabricação de máscaras N95, voltadas para os profissionais da saúde. Essa é uma parceria com o Senai Cetiquit, do Rio de Janeiro, e também a empresa Fipesa da Região Sul do país.

As chamadas máscaras cirúrgicas, que possui eficiência de até 97% na retenção do vírus, necessita de matéria-prima específica que está sendo testada pela empresa parceira. A ideia é que o material possa ser doado aos hospitais e profissionais de saúde do Espírito Santo.


Fiorella Gomes
Analista de Comunicação 
Núcleo de Comunicação e Relacionamento
Núcleo Digital 
Unidade de Comunicação Integrada (UCI) 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *