Suspeitos de arrombar estabelecimentos comerciais na região serrana do Estado são presos

A equipe da Delegacia de Polícia (DP) de Domingos Martins, em uma operação integrada com a DP de Marechal Floriano, da 6ª Companhia Independente da Polícia Militar (PMES) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), desarticulou uma organização criminosa apontada como responsável por 90% dos arrombamentos acontecidos neste ano, na região serrana do Estado. Três homens foram presos por suspeita de envolvimento nessa organização. As informações foram divulgadas, nesta terça-feira (1°), em entrevista coletiva realizada na Chefatura de Polícia, em Vitória.

O delegado-geral da PCES, José Darcy Arruda, ressaltou a importância da integração entre as forças de segurança. “Em conjunto, as equipes policiais desbarataram uma organização criminosa que vinha trazendo terror àquela comunidade de Domingos Martins, Marechal Floriano e adjacências. Eles começaram praticar crimes de furtos qualificados desde janeiro, causando vários prejuízos aos comerciantes locais. Queremos deixar registrado que todo aquele que pretender praticar esse tipo de crime não ficará impune. As Polícias estão unidas em busca deles e vamos cada vez mais intensificar o trabalho e prender todos”, afirmou.

Segundo o responsável pela operação, delegado Geraldo Peçanha, dois suspeitos, um de 35 e outro de 45 anos, foram presos nessa segunda-feira (31), no momento em que tentavam praticar um arrombamento. “Na madrugada do último sábado (29), eles tinham cometido um arrombamento em uma comunidade de Marechal Floriano, de onde subtraíram diversos equipamentos de uma marmoraria. No dia seguinte, eles retornaram para fazer outro crime, mas, como nós já estávamos monitorando os dois conseguimos evitar o furto e efetuamos a prisão”, disse.

Ainda nessa segunda-feira (31), as equipes policiais prenderam o terceiro suspeito de 47 anos, apontado como o mentor do grupo. “Os integrantes dessa organização criminosa são moradores de Cariacica, e de posse de mandados de busca e apreensão, fomos até o município e efetuamos a prisão dele com parte do material furtado no sábado (29). O detido foi condenado a 35 anos de prisão e estava em liberdade condicional. Além disso, ele utiliza sete nomes falsos. Outros dois integrantes já foram identificados”, informou Peçanha.

O delegado informou ainda que, os suspeitos alugavam veículos diferentes para a prática do crime, a fim de dificultar a identificação deles. “Eles locavam veículos em locadoras da Grande Vitória e nesses veículos eles acoplavam uma carrocinha para poder transportar os objetos do furto”, relatou.

Já a inspetora da PRF, A. Carolina, contou que a identificação foi possível após uma troca de informações entre as Polícias. “O setor de inteligência da PRF conseguiu realizar a identificação de um dos carros que era utilizado pela organização criminosa transitando na Rodovia BR-262. Essa identificação possibilitou as investigações do inquérito da Polícia Civil e, a partir disso, foi possível descobrir os integrantes dessa  organização”, ressaltou.

O comandante da 6ª Companhia Independente da PMES de Domingos Martins, major Edinei Balbino, contou que o policiamento ostensivo foi intensificado nas regiões onde os suspeitos estavam atuando. “As ações foram realizadas para prevenir novos crimes e para identificar esses envolvidos. Esse grupo tinha um modo bastante sutil, agia no interior do município, na madrugada e chegaram a utilizar cinco veículos diferentes durante os furtos”, explicou.

Os suspeitos foram encaminhados para o Centro de Triagem de Viana (CTV), onde permanecem à disposição da Justiça.

Sobre os crimes

Os crimes de arrombamento ligados a essa organização criminosa estavam acontecendo desde o mês de janeiro deste ano. Segundo o responsável pelo caso, delegado Geraldo Peçanha, os suspeitos furtavam estabelecimentos comerciais, indústrias e canteiros de obras.  Nesses arrombamentos, eles subtraíam equipamentos de altos valores como compressores avaliados em R$ 20 mil ou R$ 30 mil, além de furtar objetos que encontravam às margens da Rodovia.

 “As investigações foram iniciadas em junho após ele furtarem vários objetos de uma escola. Tomamos ciência do fato, fomos até o local e solicitamos a perícia. No dia seguinte, em um ato audacioso, eles voltaram na escola e terminaram de furtar o restante dos objetos, incluindo as câmeras de videomonitoramento”, explicou o responsável pela operação, delegado Geraldo Peçanha.

Em junho, eles furtaram 500 litros de mel de uma comunidade rural. “Em poucas horas de ação, eles conseguiam desconstituir o patrimônio de uma pessoa que levou anos para adquirir ou produzir. Felizmente, conseguimos recuperar 300 litros e as investigações continuarão para identificar os receptores”, pontuou o delegado.

O responsável pelo caso lembrou  ainda que, embora esses crimes tenham sido praticados sem violência à pessoa, essas prisões foram importantes para tranquilizar a comunidade. “Essas prisões possibilitaram um pouco de tranquilidade à população que luta dia e noite para construir o patrimônio. Agora as investigações continuarão no sentido de identificar outros envolvidos e possibilitar a recuperação do maior número de equipamentos possíveis para poder minimizar o prejuízo das vítimas.”

Texto: Fernanda Pontes

Assessoria de Comunicação Polícia Civil

Agente de Polícia Fernanda Pontes

Atendimento à Imprensa:

Olga Samara/ Camila Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *