Lançada a campanha Outubro Rosa de conscientização sobre o câncer de mama.

O Ministério da Saúde lançou nesta sexta-feira (1°) a campanha  do Outubro Rosa, com um webnário do Instituto Nacional de Câncer (Inca).

O secretário de Atenção Primária à Saúde (Saps), Raphael Câmara, reforçou o compromisso do Executivo com a saúde da mulher. “O Governo Federal já investiu R$1 bilhão em crédito extraordinário, por meio de três portarias, para os cuidados com a saúde das brasileiras. O mês de outubro é a hora de lembrarmos a importância dos exames preventivos e convidar as mulheres a fazer as consultas periódicas”, afirmou.

 A coordenadora de Prevenção e Vigilância do Inca, Liz de Almeida, abordou os dados da Pesquisa Nacional de Saúde 2019, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e chamou atenção para a importância de as mulheres procurarem ajuda desde os primeiros sinais da doença. “O profissional de saúde também deve estar preparado para esclarecer e encaminhar essa mulher para as unidades adequadas”, alertou. “A pesquisa mostrou que cerca de 40% das mulheres na faixa etária recomendada não fizeram o exame de prevenção nos dois últimos anos antes da pesquisa. Diante desse resultado, precisamos nos perguntar por que isso acontece. A mulher não estava informada ou ela não teve acesso ao exame?”, questionou.

Prevenção

No evento, técnicos do Instituto mostraram que hábitos saudáveis também ajudam na redução de riscos, além da importância da prevenção e diagnóstico. Os tratamentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) também estiveram em pauta. O câncer de mama representa cerca de 24,5% entre os tipos de tumores diagnosticados.

“Câncer de mama é uma doença que está bastante presente na sociedade. E, por isso, é muito estudado no meio científico, com tratamentos altamente eficientes. Por isso, não é preciso ter medo do diagnóstico, pois não é uma sentença de morte”, destacou o mastologista Marcelo Bello, diretor do Hospital de Câncer III, especializado no tratamento do câncer de mama.

No Brasil, em 2020, cerca de oito mil casos de câncer de mama tiveram relação direta com fatores comportamentais como consumo de bebidas alcoólicas, excesso de peso e inatividade física. O número representa 13,1% dos 64 mil casos novos de câncer de mama em mulheres com 30 anos e mais, em todo o país, de acordo com dados do Inca.

Ministério da Saúde – Instituto Nacional de Câncer (Inca).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *